domingo, 26 de fevereiro de 2012

REFLETINDO SOBRE A LINGUAGEM



Existe linguagem “errada”?

          O título da matéria de capa da revista Educação, publicada em março de 2003, é o seguinte:

     O PORTUGUÊS DE LULA É UM MAU EXEMPLO?

          O texto é de Josué Machado. Ele comenta a polêmica sobre o mau exemplo que Lula poderia representar para o ensino de língua em nossas escolas. Ao longo do seu texto, o autor recorre a depoimentos tanto de professores, gramáticos e outros profissionais que atuam principalmente na pesquisa ou ensino da língua quanto de empresários.
         Você vai ler agora alguns desses depoimentos.
         Procure observar com atenção o que pensa cada um dos entrevistados e quais são as justificativas que eles usam para suas opiniões.


a)     Falar mal, o caminho da exclusão

Aceitar os erros de português, valorizando os usos e costumes orais, justificável academicamente – e, no caso brasileiro, tornou-se uma questão da esfera politicamente correto desde que Luiz Inácio Lula da Silva virou presidente da República, sem deixar de tropeçar em concordâncias gramaticais.
                 Pega mal – muito mal, aliás – abordar criticamente os deslizes primários de Lula na norma culta. Rebatem-se as críticas em considerações sobre o preconceito, falta de respeito com o “povo”, insensibilidade social. O problema é que, para o cidadão comum, não existe anistia gramatical; o mercado profissional e o ambiente educacional não perdoam.
                Goste-se ou não, para prosperar num emprego, o indivíduo é obrigado a falar corretamente, pelo menos sem erros vexaminosos; é algo parecido com se vestir adequadamente. Já na seleção profissional, os entrevistadores medem o candidato pela capacidade de articulação e expressão. É o primeiro quesito eliminatório.
 (...)
            Não falar bem, escorregando em normas básicas, é uma defasagem aos olhos de quem    emprega e de quem aprova nos testes escolares. É tão grave, na lógica do mercado,quanto não lidar com os códigos culturais e digitais contemporâneos. Faz parte do caminho da exclusão.

Gilberto Dimenstein, jornalista e membro do Conselho Editorial da Folha de S.Paulo.

b) “Ninguém fala errado, todo mundo fala o idioma usado em sua comunidade. Lula usava uma linguagem informal dependendo de seu público. E mudava esse nível quando falava para auditórios. Não vai haver mudança no ensino da língua com o Lula ou qualquer outro presidente, de maior ou menor bagagem intelectual. O Lula, se não atingiu esse conhecimento pela escolaridade, o fez pelo contato. Pode-se questionar o conteúdo do que ele fala, não a forma.”
                       Evanildo Bechara, professor, membro da Academia Brasileira de Letras

c) “Lula já cometeu mais deslizes, ainda comete alguns, que professores também cometem. FHC, que usava um registro mais formal teria, então, influenciado crianças de Norte a Sul do país. Xuxa falava tudo com “x” – mães e educadores ficaram preocupados, mas não houve interferência nenhuma. Não votei no Lula, não sou do PT, posso falar com tranqüilidade. A linguagem é algo em constante transformação, não um apanhado de exemplos.”
               Maria Thereza Fraga Rocco, vice-diretora executiva da Fuvest e professora de português da USP.


d) “O estudante precisa ter uma preocupação muito grande com a maneira como ele fala. Acho que depende da empresa. Se for em uma área mais rebuscada, talvez houvesse uma certa dificuldade na contratação de alguém que fale como Lula. Se for uma empresa de comunicação informal, não há problema. Mas ele não seria aceito em qualquer empresa. É diferente do FHC, mais formal, mais distante. O Lula é da massa, é um português para o povo.”
                     Márcia Regina Hipólito, coordenadora institucional da central de estágios Gelre


          Qual dos quatro comentários expressa uma opinião mais próxima da sua? Por quê? Escolha um dos trechos para ser comentado. Participe dessa conversa: dê sua opinião. Neste primeiro momento, os comentários não serão publicados, a fim de que a opinião dos colegas não influencie na sua. Ah, não se esqueça de se identificar com nome e turma,ok?!                                                                                   



52 comentários:

Gustavo almeida disse...

GUSTAVO PEREIRA DE ALMEIDA TURMA 2 D MATUTINO


Eu ACHO QUE A ALTERNATIVA QUE CHEGA MAIS PERTO DA MINHA OPINIÃO E A ALTERNATIVA B QUE FALA QUE NINGUÉM FALA DE MANEIRA ERRADA MAS FALA CONFORME A LINGUAGEM DE ONDE ELE VIVE E QUE DEVEMOS VARIAR A NOSSA LINGUAGEM CONFORME O LOCAL ONDE NOS ESTAMOS ASSIM COMO LULA FAZIA CONFORME O LOCAL ELE VARIAVA O SEU MODO DE FALAR EM UM TOM MAIS FORMAL OU INFORMAL . ENTÃO A ALTERNATIVA B FOI A QUE CHEGOU MAIS PERTO DO QUE EU PENSO ...

Josy disse...

Comentário "B"
"Pode-se questionar o conteúdo do que ele fala, não a forma."
cada um de nós temos um jeito diferente de falar, em casa falamos de um jeito, na escola de outro, no local de trabalho de outro, sempre estamos mudando a forma de falar.
" Ninguém fala errado, todo mundo fala o idioma usado em sua comunidade."
cada região, estado, país tem seu idioma, seu sotaque, seu modo específico de falar.

Aline Silva disse...

Gostei muito da opinião B. E como diz uma parte do texto "Ninguém fala errado, todo mundo fala o idioma usado em sua comunidade".
Cada pessoa fala de acordo com sua escolaridade por exemplo. Uma pessoa que terminou os estudos consequentemente deve falar de uma forma diferente de uma pessoa que está por exemplo na 5ª série. Assim faz o Lula.

Josy disse...

prof. eu esqueci de colocar menu nome e série no final do meu comentário sobre esse assunto...
eu coloquei a letra "B" e tracei os seguintes pontos para comentar "Ninguém fala errado, todo mundo fala o idioma usado em sua comunidade." e "Pode-se questionar o conteúdo do que ele fala, não a forma." por favor me identifique.
josiene 2º "E"

alef disse...

Tipo a "B" e a "C" São bem massa ninguém fala errado porque cada um tem seu sotaque então ninguém fala errado
Agora a "C" e certo que todo mundo de fez e quando fala errado não porque quer e sim porque não souber fala e acabou falando errado

Lethicia 2ºF disse...

Lethicia Gomes 2ºF
Me identifiquei mais com o depoimento (b).Vou citar o texto Santos nomes em vãos,que di nada adiantava o Praxedes e o Aristarco serem grandes entendedores da gramatica e a comunidade não fazia a minima ideia do que eles falavam.Então o Lula sabendo se comportar diante do público falando corretamente sem gírias, e o que importa.E a comunidade onde ele morava não eram tão avançada então ele teve que se aperfeiçoar de acordo com o ambiente em que morava.

wagner disse...

concordo com o texto B pois,samos falantes competentes da nossa língua, mas muitos não conhecer a gramatica tão aprofundada como os acadêmicos,acho isso um preconceito da parte deles,pois são eles que devem se adequar o modo de fala do local que eles estão.
o texto A da minha parte e um preconceito contra as pessoas de baixa escolaridade.

Karoline Kobolt disse...

O comentário B. Pois cada um fala da forma que foi adequado a sua classe ou cultura. E não vai ser o modo como o Presidente ou o Papa fala que vai influenciar o ensino da Língua Portuguesa nas escolas. "Ninguém fala errado, todo mundo fala o idioma usado em sua comunidade."

Karoline Kobolt disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Hellen Cristina (2E) disse...

Realmente, nenhuma pessoa fala errado.Todos nós sabemos sim a nossa língua oficial;mas é claro que existem pessoas que variam essa forma de falar de acordo com a situação em que se encontram.O nosso querido ex presidente da República não fala errado de forma alguma, apenas varia sua forma de expressar de acordo com o seu público alvo e todos nós, sem dúvida, devemos respeita-lo e não critica-lo como fazem essas pessoas insensatas e vis.

Rívia disse...

Concordo plenamente com o segundo comentário feito por Evanildo Bechara , cada um fala da forma que esta acostumado a ouvi. Logico que se tiver em um lugar muito formal não se deve ter uma linguagem informal. Devemos sempre tenta falar da forma correta, mais fica difícil pois não estamos acostumados com uma linguagem formal.
Aluna : Rívia Ribeiro / Série e Turma : 2º F

wagner disse...

concordo com o entrevistado B,porque somos falantes competentes da nossa linguá,o lula conhecer a gramatica mas não tão a aprofundadas como os acadêmicos,acho isso um preconceito da parte do entrevistado A,porque ele sim que deve si adequar a maneira de fala de cada cultura pois ele tem mas estudo.e deve fala da forma mas compreendida pela população.
Wagner 2ano:E

roberta disse...

ROBERTA 2° C

EU ACHO QUE É A LETRA `B´
POR QUE TODO MUNDO FALA O IDIOMA
QUE É USADO, QUE SE APRENDEU. O NOSSO PROPRIO PRESIDENTE NAO TINHA MUITO ESTUDO, O POVO JULGAVA MUITO ELE,
E NO QUE DEU! ELE VIROU PRESIDENTE DO BRASIL, AGORA EU QUERO VER O POVO FALAR ALGUMA COISA DELE AGORA.

Daniel 2° F disse...

Daniel Vinicius 2° F

O trecho 'D' por quê? o presidente Lula não foi atoa que ele foi um dos melhores presidente que governou o país, não existe uma linguagem errada, a linguagem serve para entender o outro estando certo ou errado por isso existe linguagem não verbal como muitos animais se comunicavam entre si, Lula tinha uma linguagem que o povo entenda com facilidade o seu diálogo, mais isso, se torna diferente de outros casos, para se comunicar com um juiz você não poderá se comunicar com modos informais como se estivesse falando em um bar ou com amigos, o juiz tem que ter uma linguagem formal por exemplo: tem que chama-lo de vossa excelência, mais se um rapaz chamasse o juiz de senhor não estaria errado, só estaria errado a situação porque a linguagem pra mim o ouvinte tem que entender o que o outro ser esteja se comunicando com ele, não precisa ser um ouvinte necessariamente por isso tem comunicação visual, se comunicarmos com um deficiente auditivo fazendo gestos, ele entenderia mesmo que você não saiba, então a linguagem não estaria errada.

Rejane disse...

Rejane 2°d,letra(c),Por que a linguagem e popular,em cada estado do Brasil tem um jeito de se expressar com as palavras.

Luucas disse...

a Opinião B
por que para mim ninguem fala errado,todos tem um jeito de falar e temos que respeitar isso
e nem todos tem a opurtunidade de estudar

nadyne disse...

Na minha opinião não existe fala errada,todo mundo fala do jeito que as pessoas do meio onde ele convive falam.Mas claro que você deve usar uma linguagem mais formal quando for tentar arranjar um emprego,por isso que temos que adequar nossa linguagem de acordo com a situação.
Nadyne Nascimento
2º"D"

Anônimo disse...

A "D" é a que eu concordo. Pois o Lula não era analfabeto como muitos o julgaram... Ele apenas falava um português mais da forma em que utilizamos no dia a dia, não acompanhei a vida presidencial do Lula e não posso dizer muito a respeito... Mas dos meus conhecimentos não existe a forma correta de se falar e sim a diferença da Gramática normativa para aquela que utilizamos no nosso dia a dia... Sou Catiara do 2 ano da turma A.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Kariny Santos disse...

O Lula usava uma linguagem informal quando discursava para o povo, ele falava a língua do "povo" e quando discursava para auditórios usava uma linguagem mais formal, afinal do que iria adiantar se ele falasse quilos de palavras e ninguém entendesse nada, era a forma de comunicação dele com o povo e assim ele conseguiu conquistar o seu lugar como presidente. A língua portuguesa em si não é muito fácil de se aprender, são muitas regras e questões bobas que nos confunde e está sempre em mudança. Achei interessante essa frase ela resume tudo isso que eu quis explicar, "ninguém fala errado, todo mundo fala o idioma usado em sua comunidade." KARINY SANTOS, 2° F

Anônimo disse...

Na minha opnião e a letra "b" porque todo mundo tem a sua maneira de falar, ou seja cada um tem a sua forma de si expressar, afinal ninguem fala errado e sim tem a sua forma de falar, porque ninguem fala errado e sim fala conforme a sua sociedade ou conforme o jeito que aprendeu desde o principio... Por: Hyago Bhenner 2ºE

Marina Oliveira disse...

O texto "A" de Gilberto Dimenstein. Porque diz que o uso "errado" da língua formal, causa muita rejeição , pois o uso correto da língua é um ponto crucial na seleção tanto de uma vaga de emprego como numa avaliação escolar.Já o uso da linguagem usada por Lula é igual a maioria da população brasileira , não são fieis a gramatica , porém não está errada , são vindas de costumes , regiões e também da idade. Porém Lula com sua posição política foi muito criticado por professores e profissionais na língua , pois ele era um representante de toda uma nação.
Por: Marina Caetano 2 "E"

Arthur disse...

Arthur Edson 2° C

b) Concordo com este comentário, Porque ele diz “Ninguém fala errado todo mundo fala o idioma usado em sua comunidade " Lula utilizava a linguagem que aprendeu, aquela que era falada todos os dias onde morava, assim como nós falamos diferente de outros povos. o Lula não teve muita escolaridade por isso não utiliza a linguagem formal correta o padrão da lingua portuguesa .

Maynara Lopes disse...

Minha opnião, vai ser a letra (B) > b) “Ninguém fala errado, todo mundo fala o idioma usado em sua comunidade. Lula usava uma linguagem informal dependendo de seu público. E mudava esse nível quando falava para auditórios. Não vai haver mudança no ensino da língua com o Lula ou qualquer outro presidente, de maior ou menor bagagem intelectual. O Lula, se não atingiu esse conhecimento pela escolaridade, o fez pelo contato. Pode-se questionar o conteúdo do que ele fala, não a forma.”

EU ESCOLHI ESSA OPNIÃO, PORQUE EU ME JUSTIFIQUEI MAIS COM ELA.
BOM, É ISSO !

Tenha uma ótima noite e, um forte abraço pra você, professora linda!

Maynara Lopes , 2º"A"

Angela Marques disse...

Eu opino pela letra "b" pois tem mais haver com a minha opinião.
Quando o escritor Evanildo Bechara, comenta - 'Ninguém fala errado, todo mundo fala o idioma usado em sua comunidade', creio que é o comum das pessoas serem, ou seja falarem, pois se a pessoa foi criada de um jeito, qual seria o motivo dela mudar o modo de falar.
Pois é difícil uma pessoa deixar as suas raízes!!!

Angela Marques disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Angela Marques disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Gabrielle' disse...

bom, foi o comentário do Evanildo Bechara pois ninguém fala errado por mais que a pessoa tenha o mínimo de escolaridade . E mesmo assim ele tentava se adequar a situação diferente .
"Lula não se atingiu esse conhecimento pela escolaridade e fez pelo contato" essa foi a parte em que me chamou atenção no texto.

Gabrielle' disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Paloma C. Mamede disse...

O comentário que mais se assemelha com a minha opinião é o D, feito por Márcia Regina Hipólito, coordenadora institucional da central de estágios Gelre.
A linguagem que o Lula utiliza é proveniente de sua cultura, não podemos considerar que esteja errada ou que seja motivo para exclusão e preconceito, entretanto a linguagem cobrada pela sociedade em relação ao desenvolvimento de trabalhos e interação com o mercado de trabalho é voltada para a formal. Em minha opinião não podemos segui-lo como exemplo e pensar: “Eu tenho o direito de falar como eu quero.” Temos o direito de nos expressar como queremos, mas depende da ocasião, e querendo ou não, a forma padrão por enquanto é a mais requisitada.
Acredito que de certa forma o Lula falava uma linguagem mais acessível não somente pela sua cultura, mas também para estabelecer uma melhor comunicação com o povo, e ele estava adepto a falar de qualquer modo, pois o cargo que ele estava ocupando lhe dava o direito de se expressar como queria e mesmo assim ainda ia ter o devido respeito de presidente do nosso país.

Paloma Carvalho Mamede, 2º E.

Amanda Kelly disse...

Concordo com a opção "B", porque ninguém fala errado, vai varia de região a região.

cinara disse...

oi,meu nome e cinara do 2° c
E a letra que mais parece com e a letra "c" por na frase em que fala a linquagem é algo em constante transformação , não um apanhador de exemplos."este trecho explica que não e porquê "fulano" falar errado que nós também devemos falar errado,nós nunca devemos pegar um exemplo de alguem que fala errado,nós temos que ser um exemplo para eles que falam errado.

Anjinhááh disse...

O comentário b)Por ele cita que ninguém fala errado,todos falam o idioma usado em seu ambiente de convivência então pra mim acho que lula é um falante competente de sua lingua pois sabia se expressar bem quando queria algo não foi à toa que ele chegou até aonde conseguiu chegar mais a partir dai ele começou a conhecer outros tipos de linguagem mais apropriável ao seu local de trabalho e foi conseguindo ter um desenvolvimento na linguagem melhor acho que não devemos discriminar alguém por não saber se comunicar melhor que algumas pessoas isso veio a ser uma falta de ética por falar que lula não sabia falar direito.

554422 disse...

Mas com a opinião da letra d,pois o Lula é do povão,os brasileiros entendiam a mensagem que ele passava.Para mim é mau exemplo para quem se deixa levar.E ele representou muito bem nosso país na minha opinião...

Michel Lucas Dias Magalhães
2° 'C'
Matutino
CEd 310

hatsds disse...

Natália Santos Fernandes 2ºF.
a letra (B) foi a que chegou mais perto da minha opnião porque todos nos aprendemos uma linguagem desde criança é levamos ela para toda a vida. Falando certo ou errado é daquela forma que aprendemos, é por isso que o Lula espresa sua linguagem da forma em que ele ache correta.

Anônimo disse...

LUKAS LEITE/ 2º E

LETRA D

Porque eu acho que em cada lugar você deve falar de uma forma, eu não posso chegar em um "lixão" e falar como falo em uma palestra (onde estou ministrando).
O Lula poderia falar "errado", mas sabia que quando estava no plenário não poderia falar "você", ele deveria falar "Vossa Excelência".

Anônimo disse...

Letra ''B''.Por que é o modo de falar de cada um, cada falante tem sua propria língua, seu modo de ser expressar, e claro que em alguns lugares e obrigado,a falar com as mesmas regras da gramatica , como num emprego por exemplo, mas no cotidiano nos não e obrigado a seguir regras por regras, mas não precisa mudar seu modo de falar, o lula por exemplo pode sim ter cometido erros, mas e a língua que ele fala diaramente e todos nós devemos respeitar isso , nos falante temos nossa língua propria , nosso vocabulario portugês. Grace kelly''2C''

Patrícia disse...

O comentário da letra "B" expressa uma opinião bem próxima da minha. Porque como eu já havia estudado nas aulas de Português, todo falante nativo de uma língua sabe essa língua, pois todos nós sabemos falar nossa língua de maneira bem clara que todos possam entender. Dizer que a maneira que o Lula fala é errada fica fora de questão, pois ele sabe sim falar o português de maneira correta, pois todos nós podemos entender,então ele é um falante competente. Claro que ele se tratando da linguagem da gramática essa maneira dele falar está incorreta, mas está incorreta a gramática que ele usa, não a forma com que ele fala.

Anônimo disse...

achei muito interessante a opinião "D";é verdade que o Lula fala a linguagem do "povo" e sem nenhuma preocupação se a forma como ele se expressa está de acordo com normas da linguagem padrão,e que a população no geral acha isso bom,pois de alguma forma ele,mesmo quando presidente se aproximava da realidade da população,acho que sua forma de falar foi umas das maiores contribuições para isso.Mas acho que isso tem uma certa influência ruim,pois nem sempre podemos usar esse tipo de linguagem e se a pessoa se habituar à isso será prejudicada! Também acho q esse tipo de linguagem é sim,errado!Pois se existem normal gramaticais e regras é porque precisam ou pelo menos deveriam ser seguidas.
Sara Kelma 2E

Matheus disse...

Matheus Ferreira 2º "C"
Na minha opinião a questão "B" esta de acordo com meus pensamentos sobre a língua portuguesa,todos nós já nascemos falantes fluentes da língua mas não sabemos a gramática e não precisamos falar em todas as ocasiões,temos que saber diferenciar a hora de usar uma linguagem formal e na hora de usar uma informal.Esse contexto que o entrevistado descreve é concerteza o mais correto.

Eric B. disse...

Acho que a letra B ea mais adequada pois a grande pergunta é quem falou que o ex-presidente esta falando errado ? se formos olhar por um ponto de vista o ex-presidente pode estar falando certo e nos estamos falando de uma forma errada.

Nathan Bueno disse...

Nathan Bueno 2°E
Eu concordo com o comentário B, pois como ele já disse, ninguém fala errado, mas de maneira diferente, o tipo de linguagem , formal ou informal, depende do contexto e de situações na qual nos permite habituar esses tipos de linguagem. O que foi essencial para o ex-presidente Lula, pois o tipo de linguagem usada por ele conseguiu atingir um número máximo de pessoas em seu governo.

Laízza Ferreira disse...

Eu me identifiquei mais com o comentário de letra "b". Acredito que, hoje, não se fala bem porque as pessoas não leem como deveriam. É uma questão mais cultural, onde dependendo de onde o indivíduo more, ele acredita que a linguagem usada em sua comunidade deva ser usada por onde quer que ele ande.
A verdade é que, querendo ou não, a visão em relação à linguagem interfere na opinião que as pessoas fazem a nosso respeito.
Se uma pessoa se expressa bem, ela chama atenção de forma positiva e chega a impressionar os que estão ao seu redor, mas se utiliza gírias e uma linguagem chula, a visão que os outros terão dela será bem negativa.
Quanto à influência que um presidente possa exercer sobre uma nação com sua maneira de falar, de se expressar, acredito que não interfira no ensino da língua. Se interferisse, mudaríamos os métodos e a linguagem de acordo com o exemplo de cada pessoa influente de nosso país e aí viraria uma verdadeira bagunça.

Laízza Ferreira de Araújo, Turma 2º C

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Letra b.Porque ninguém fala errado,todo mundo fala o idioma usado em sua comunidade.Pois com a linguagem padrão da gramática não sendo muito utilizada no nosso convívio as pessoas acabam tendo dificuldades e até mesmo errando,por isso que temos a matéria Português nas escolas,para poder nos auxiliar no aprendizado da gramática normativa.

katiene(2º E)

Anônimo disse...

Caio Adriano - 2E
Bom nenhuma das opiniões apresentadas se assemelham com o que eu penso. Não tenho nada contra o Lula não ter estudado seja lá quais foram seus motivos não cabe a mim julgar. Acho que ele se elegeu e reelegeu muito graças a sua forma de se comunicar , pois a grande massa do povo se identificou com ele. Mas acho também que depois de eleito ele deveria rever seus conceitos e passar a dar o exemplo , procurar falar tudo o mais correto possivel , se ele não conseguir sozinho que contrate um professor. Como representante maior do nosso país isso era o minímo que ele deveria ter feito.

keslle disse...

Eu escolho a letra "b"
a ideia que o Evanildo Bechara transamitiu na minha opinião esta certa, cada um tem seu jeito de falar, é tipo como o sutaque de cada região, cada um fala do jeito que aprendeu.


Nome:keslle inacio ferreira da silva
2°C

Rodrigo312 disse...

a opçao b que eu achei mais parecida com a minha por que nem sempre o jeito que agente fala sendo certo ou nao pode influenciar algumas coisas a tambem falarem errado , si fosse assim muitas pessoas falariam tudo errado

Daniel disse...

Daniel Martins 2°C
Minha opinião está ligada a letra b,Porque ninguém fala errado, todo mundo fala o idioma usado em sua comunidade,só que com o Lula a linguagem que ele aprendeu foi de acordo como onde ele viveu e o lugar onde viveu.

Daniel disse...

Daniel Martins 2°C
Minha opinião está ligada a letra b,Poeque ninguém fala errado, todo mundo fala o idioma usado em sua comunidade,e a linguagem do Lula foi de acordo onde ele viveu.

Daniel disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Administrador: Profª Adriana Santos disse...

Olá, C@ros Alunos!

Encerrado o período de acesso, agradeço a todos que contribuíram com suas ideias para o enriquecimento do nosso debate.

Até a próxima!
Profª Adriana Santos